top of page

O que fazer quando os pais envelhecem?

Atualizado: 12 de jul. de 2021




Temos algumas poucas certezas na vida. Uma delas é que, se tivermos sorte de viver o suficiente, vamos envelhecer um dia.


Nosso corpo vai mudar, e vai precisar de mais atenção e cuidado. Muitas pessoas ainda não fazem planos para o futuro contando com esta nova realidade e também não pensam que os pais também vão envelhecer.


Mas temos que ter em mente que o envelhecimento fisiológico é uma realidade.


E sabemos o quanto este é um momento delicado, no qual os papéis se invertem: quem era responsável por cuidar, passará a ser cuidado e vice-versa.


O envelhecimento afeta não só a saúde do corpo, mas a dinâmica familiar e o emocional de todos os envolvidos.


Depender de outras pessoas para tarefas cotidianas pode ser frustrante e acarretar, inclusive, depressão. E também não é fácil para os filhos ver a perda de autonomia e a dependência que os pais passam a experienciar.


O que você, de fato, pode fazer? Neste primeiro momento, caso ainda não o tenha feito, é aceitar o fato como ele é: o envelhecimento faz parte da vida e você está testemunhando isto agora.


Do ponto de vista da saúde, é importante ter uma equipe de confiança cuidando da saúde do idoso: fisioterapeutas, médicos, enfermeiros, psicólogo e outros profissionais que podem ajudar nos diversos desafios que podem vir pela frente e também para te dar informações bem embasadas do seu caso.


Prevenir é o melhor remédio


Tenha em mente que existem dois caminhos para o envelhecimento: a senilidade e a senescência.


A senescência é sobre um envelhecimento saudável, sem patologias instaladas. Ou seja, mesmo que algumas funções sejam debilitadas pelo envelhecimento do corpo, de forma natural, não haverão outras patologias agravando ainda mais a situação, como o exemplo de Parkinson e Alzheimer.

Já na senilidade, o envelhecimento pode ser mais difícil pois as patologias que geralmente acometem a terceira idade, como a demência, artrite e artrose, já estão presentes agravando ainda mais as debilidades.


No caso de não ter nenhuma patologia instalada, o trabalho da fisioterapia será de manter a saúde do corpo e trabalhar para evitar, dentro do possível, qualquer patologia.


No caso de o paciente já apresentar sintomas ou estar enfrentando debilidades pós AVC/AVE, por exemplo, o trabalho da fisioterapia já vai ser para reabilitar os movimentos e evitar que haja mais complicações.


Em ambos casos, a fisioterapia trabalha junto com o paciente, cada um fazendo a sua parte para que o resultado saia melhor que o esperado.


É possível recuperar um idoso acamado?


Não é impossível, em diversos casos. Temos casos de pacientes que viviam acamados e fomos reabilitando os movimentos através de um trabalho incansável por parte da nossa equipe e do paciente.


Qual a melhor forma de lidar com o envelhecimento?


Ter em mente que ele vai acontecer e que, quanto antes você cuidar da saúde, melhor.


Quando se trata de sermos responsáveis pelos nossos pais, avós ou outros familiares idosos, é importante conscientizá-los da importância dos cuidados com a saúde e ter empatia caso eles sejam resistentes a certos cuidados.


Como dissemos no início do texto, é um momento difícil por ter uma inversão de papeis e também pela perda de autonomia em razão das limitações no corpo.


A fisioterapia, entre outras áreas da saúde, serão importantes aliadas no cuidado do idoso e no amparo à família.


A perda de esperança pode ocorrer, mas com uma equipe que presta cuidado e atenção excelentes, essa desesperança, com o tempo, vai desaparecendo e dando lugar à esperança de dias melhores.


É possível envelhecer com saúde e qualidade de vida. Esse é o nosso foco.

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page