top of page

Esclerose múltipla e fisioterapia

Após o diagnóstico de esclerose múltipla, a fisioterapia pode ser indispensável. Leia este artigo até o final para obter mais informações sobre a esclerose múltipla e como a fisioterapia atua na reabilitação de pacientes.


Mas, afinal, o que é a esclerose múltipla?


É uma doença neurológica, crônica e autoimune que atinge o sistema nervoso central, provocando lesões medulares e cerebrais que prejudicam a comunicação entre o cérebro e o corpo.


É uma doença desmielinizante, ou seja, o revestimento dos neurônios (mielina) é danificado através dos ataques das células do sistema imunológico, caracterizando-a também como uma doença autoimune.


Como a desmielinização prejudica a condução de sinais nervosos, a comunicação entre o cérebro e o corpo é prejudicada e seus sintomas podem durar dias, meses ou até levar a vida inteira.


No Brasil, estima-se que 30.000 (trinta mil) pessoas convivam com a doença que atinge, em sua maioria, mulheres, numa faixa entre 20 e 40 anos¹.


É uma doença que ainda não tem prevenção ou cura, mas tem tratamento. Fique até o final deste artigo para saber mais sobre os sintomas e o tratamento na fisioterapia.


Os três tipos de esclerose múltipla:


A esclerose múltipla é conhecida e classificada de acordo com a variação e a forma com que os surtos se apresentam. Os tipos definidos de esclerose múltipla são:


• Remitente Recorrente (EMRR): sintomas súbitos que duram dias ou semanas cuja recuperação pode ser total ou parcial.


• Primária Progressiva (EMPP): a doença evolui sem surtos, mas seus sintomas vão se acumulando e progredindo ao longo do tempo.


• Secundaria Progressiva (EMSP): ao invés de surtos pontuais, os sintomas vão progredindo e agravando lentamente.


gráfico sobre os sintomas da esclerose múltipla
Gráfico relaciona evolução dos sintomas da esclerose múltipla em seus diferentes tipos - Fonte: http://abem.org.br/

A forma mais comum de Esclerose é a remitente-recorrente, ou seja, muitos pacientes experimentam surtos pontuais ao longo da vida sem que os sintomas se acumulem.


Quais sãos os sintomas de esclerose múltipla?


Os sintomas variam caso a caso. Alguns sintomas da esclerose múltipla são:

• Dor nos olhos, perda da visão, visão dupla ou embaçada

• Fraqueza muscular trazendo dificuldade de coordenação e movimentação

• Fadiga

• Incontinência urinária ou excesso de urina

• Perda de sensibilidade (dormência) em algumas regiões do corpo, formigamento ou queimação

• Dificuldade na fala

• Disfunção sexual ou erétil

• Em alguns casos, confusão mental, dificuldade em pensar e compreender


Como muitos desses sintomas podem se relacionar a outras doenças, é importante fazer uma consulta com médico neurologista para se obter um diagnóstico confiável e sem erro.


Como obter diagnóstico?


A esclerose múltipla é uma doença que requer uma série de exames para obter um diagnóstico. Isso porque os seus sintomas são diversos e suas variáveis se modificam caso a caso.


Dessa forma, é recomendado que se procure um médico, geralmente um neurologista, que vai encaminhar e prescrever exames específicos e minuciosos para que então se chegue a um diagnóstico.


Entre esses exames estão: exames de imagem, exames de sangue, podendo ser solicitado também o exame de líquor, que retira o líquido da espinha (líquido Cefalorraquiano (LCR)), um fluído corporal transparente produzido pelo cérebro.


Após obter o diagnóstico, o neurologista poderá indicar tratamentos medicamentosos e, em paralelo, outros tratamentos, os quais os mais comuns são:

• Fisioterapia

• Fonoterapia

• Acompanhamento psicológico

• Terapia ocupacional


Como a fisioterapia atua no tratamento da Esclerose múltipla?


Como já falamos anteriormente, a esclerose múltipla é uma doença neurológica, desmielinizante, que prejudica a comunicação entre o cérebro e o corpo, causando danos diversos nas capacidades motoras e sensoriais do indivíduo.


A fisioterapia é um dos tratamentos indicados, aliado ao uso dos medicamentos, para reduzir os danos causados pela doença.


É muito importante que o tratamento seja iniciado logo após o diagnóstico para que o paciente possa experimentar mais qualidade de vida e até retardar alguns sintomas comuns da doença.


A fisioterapia planejada de forma individualizada e personalizada, ou seja, de acordo com a necessidade específica e o quadro do paciente, atuará trazendo uma maior autonomia motora para o paciente, bem como melhorar o desempenho nas atividades diárias, reduzir a fadiga, podendo até prevenir complicações futuras causadas pela doença.

Desta forma, a fisioterapia atua para melhorar o desempenho nas atividades diárias, possibilitando que o paciente tenha mais autonomia funcional.


Ainda não se conhece a cura para a esclerose, mas há diversos tratamentos disponíveis que contribuem para o aumento da qualidade de vida e para a diminuição dos surtos e da incapacidade motora que acomete muitos pacientes.


Esclerose múltipla e COVID-19


Pessoas diagnosticadas com Esclerose múltipla precisam redobrar os cuidados!


A COVID-19 é causada por um novo coronavírus, identificado em dezembro de 2019 em Wuhan, China.


Sabe-se que este vírus pode ser fatal ao afetar os pulmões e vias aéreas, colocando em risco, principalmente, pessoas com problemas pulmonares, cardíacos e pessoas com mais de 60 anos.


Indivíduos com o sistema imunológico comprometido, como é o caso das pessoas diagnosticadas com a Esclerose Múltipla, precisam ter atenção às recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS)² para evitar a contaminação e inibir o avanço de ambas as doenças.


As recomendações da OMS para todos os indivíduos é:

• Lave as mãos com frequência com água e sabão ou com um sabonete à base de álcool

• Evite tocar nos olhos, nariz e boca, a menos que suas mãos estejam limpas

• Tente manter pelo menos 1 metro de distância entre você e os outros, principalmente aqueles que tossem e espirram.

• Ao tossir e espirrar, cubra a boca e o nariz com um cotovelo ou tecido flexionado

• Pratique a segurança alimentar usando diferentes tábuas de cortar carne crua e alimentos cozidos e lave as mãos entre o manuseio


Para pessoas diagnosticadas com esclerose múltipla, adiciona-se:

• Evite reuniões e multidões públicas

• Evite usar o transporte público sempre que possível

• Sempre que possível, use alternativas para consultas médicas de rotina presenciais (por exemplo, consultas por telefone)


Muito importante: cuidadores e familiares que moram ou visitam regularmente uma pessoa com EM também devem seguir as recomendações acima.


Àqueles que fazem uso de medicamentos para inibir o avanço da EM, precisam conversar com seu médico caso contraia o COVID-19 pois pode haver alterações na continuação do tratamento.

Conscientize-se sobre os cuidados que você precisa ter com a sua saúde em todos os âmbitos da sua vida.


Quando precisar de um fisioterapeuta, entre em contato com a clínica Haiquel Abjaude de fisioterapia, em Indaiatuba.


--

Fisioterapia Haiquel Abjaude

🚩Rua Humaitá, 893 - 13339-140 - Indaiatuba, SP.

📞 (19) 3875-4154 (19) 99973-3983

Fonte:

¹Dado obtido através do documento elaborado pela Federação Internacional de Esclerose Múltipla (MSIF) em conjunto com a Organização Mundial de saúde (OMS) - dados de 2013]


⚠ IMPORTANTE: Apesar deste post trazer informações relevantes e verificadas sobre a esclerose múltipla, é necessário consulta médica para que se faça uma avaliação apurada do seu caso e chegue a um diagnóstico.

89 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page